segunda-feira, 23 de novembro de 2009

CAPÍTULO XXIX

SEMPRE INTERCEDENDO – BRENDA
Entrei em casa arrasada. Carla, minha querida amiguinha, sofrendo tanto. Sentia-me impotente, mesmo perseverando em oração por ela. Chorei horas, orei e pedi muito a Deus pela vida dela. Minha mãe bateu na porta do quarto:
- Brenda, filha, vem jantar.
- Não tô com fome, mãe, obrigada.
- Você tava chorando, né?
- Ainda tô.
- Minha filha, que coisa triste. - minha mãe me abraçou.
- Eu queria ter conseguido falar mais com ela, ter aconselhado, ajudado a evitar todo este sofrimento.
- Você é uma amiga fiel, minha filha, não se cobra tanto. Ela tava com a vida dela lá. Antes os pais a prendiam muito e lá ela se soltou demais, não teve cabeça, acabou ficando perdida.
- Mãe, amanhã eu vou lá outra vez, quero ver o Valdemar no CTI.
- Que tragédia! Ao mesmo tempo o pai e a filha. A Carla tá um pouco melhor?
- Ela vai receber transfusão de sangue, ainda tá fraca, vai se recuperar fisicamente, mas emocionalmente tá péssima.
- Eu imagino.
Fui ao hospital no dia seguinte e entrei no CTI. Cheguei bem perto do Valdemar que ainda tava em coma
- Valdemar, se você tá me ouvindo, pisque o olho esquerdo.
Ele piscou.
- Valdemar, querido, Jesus te ama e quer que você perdoe sua filha e se entregue a Ele. Você quer aceitar Jesus e mesmo em pensamento repetir uma oração? Se sim, pisca outra vez o mesmo olho.
Ele piscou outra vez. Orei com toda fé como se fosse ele falando:
- SENHOR DEUS, creio que tu és o criador dos céus e da terra e que deste Teu amado Filho Jesus para que toda a humanidade fosse salva. Eu entrego minha vida a ti. Perdoa os meus pecados e escreve o meu nome no livro da vida. eu te agradeço em nome de Jesus. Amém.
Fui pra casa e depois pra faculdade. Quando voltei, minha mãe disse:
- Valdemar faleceu. Seu pai foi ao velório.
- E a Carla?
- Ela ainda tem que ficar mais um pouco no hospital, tá muito fraca. O médico que a está assistindo disse que ela tá com uma depressão muito acentuada. Não quer comer, tá passando só a soro. Não fala, nem chorou com a notícia da morte do pai. Tá completamente apática. Estão dopando a menina direto, pois temem que ela possa até se suicidar.
- Coitadinha...eu vou fazer tudo o que eu puder por ela. Jacyra disse que ela matou o pai quando ele enfartou.
- Que horror! Uma mãe dizer isso a uma filha!
- Mãe, eu vou ao velório.
- Vamos de manhã ao enterro, filha, agora tá tarde.
- Tá.
- Alessandra já tá lá.
Fomos de manhã e falei com Alessandra:
- Como vai ser agora, hein?
- Ai Brenda, nem me pergunte. Ele deixou as duas bem financeiramente, mas acho que Jacyra e Carla não vão mais se entender.
- Tá tenso o clima, né?
- Eu fui ver a Carla. Ela não fala. Jacyra só diz que ela matou o pai. O pessoal conhecido, parentes, aqui mesmo no velório fez comentários que só falta quando verem a Carla atirarem pedras nela.
- Meu Deus, quanto julgamento! Então souberam do caso dela com o Marcos?
- Eu acho que sim. Pelos comentários que ouvi. Sempre tem um dedo duro nessas histórias.
Quando voltei pra casa, li aquela passagem da mulher adúltera, na qual Jesus diz aos fariseus: “Aquele que de entre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela”. (João 8 : 7-b). Pensei muito na Carla, marcada pela incompreensão das pessoas que muitas vezes são falsas moralistas, julgando os outros como se fossem santas. Mesmo tendo errado, a mulher adúltera recebeu na hora o perdão de Jesus que disse: “vai-te, e não peques mais.” (João 8 : 11-b). Contei à dona Maria, que teve muita compaixão.
- Pobre dessa menina. Ela precisa muito de Jesus.
- O clima tá tão pesado na família.
- Minha filha, ora, ora sempre. Jesus vai se manifestar na vida dela no momento certo. Na passagem da mulher adúltera Ele tava lá em socorro dela e dando o alívio do perdão e a encorajando a seguir em frente sem repetir o erro. Sua amiga ainda vai sentir isso. Pode parecer que vá demorar e eu sei que você deseja que ela esteja com Jesus agora e se liberte, sei que você sofre por isso. Mas vamos orar, Deus vai responder e vai chegar o momento que ela vai ouvir.
E assim, sempre intercedendo, tive além da dona Maria outras pessoas que me acompanhavam em oração, auxiliando-me a suportar aquela dor. Uma pessoa muito especial que eu ainda conhecia pouco tocou meu ombro quando eu tava recolhida em oração ajoelhada, chorando no banco da igreja.
- Oi. – ele falou mansamente
- Oi... Eu virei pro lado e respondi baixinho, com a voz embargada pelas lágrimas
- Desculpe, eu não queria interromper, mas é que eu tenho visto você sempre orando, você faz parte da interseção, né?
- É. Eu também tenho visto você no grupo de jovens, no teatro cristão.
- É. Eu tô me formando ator pelo curso aqui da igreja. Meu nome é Márcio. Você pode falar por que tá tão triste ou é algo muito particular?
- Eu até devo, assim você me ajuda em oração. Uma amiguinha minha tá sofrendo muito... – comecei a chorar mais e ele ficou emocionado também. Relatei sem contar todos os detalhes o que houve com Carla, a perda do pai, a depressão.
- Pôxa...é duro sim, já sofri assim por amigos meus. Uma vez eu e outros amigos encontramos um que não víamos há algum tempo na rua. Nós nem tínhamos programado isso, mas olha como Deus faz as coisas: do nosso grupo de amigos era o único que ainda não tava na igreja. A gente tava evangelizando na rua, lembro que era no finzinho de 85, num sábado. Ele tava de porre, chorando muito. Primeiro conversamos com ele. Todos nós o abraçamos. Eu até me emociono de lembrar o que ele falava:
- Eu não tenho mais razão pra nada na vida, eu quero morrer!
- Eu falei pra ele: Que é isso cara, a gente tá junto não vamos te deixar nunca. Você tem chance, tem quem te ame e que tá vendo você agora aqui: Jesus. Levamos o cara pra casa de um desses amigos que tavam com a gente. Cuidamos dele ele tomou um banho, um café forte, ele ficou sóbrio e depois de conversarmos com mais calma, fizemos o apelo que ele aceitasse Jesus e ele declarou que Jesus era o seu único salvador. Hoje ele tá no ministério de cura aqui da igreja.
- Que bom. Quero ver minha amiguinha assim. Eu amo demais a Carla...tô sofrendo tanto... – eu chorava muito
- Não fica assim. Você crê que ela vai ser liberta? Que Deus vai operar na vida dela?
- Creio.
- Vamos orar juntos.

15 comentários:

  1. Capítulo super emocionante também.Triste o que aconteceu com a Carla, mas espero vê-la dar a volta por cima e se entregar a Jesus.Que bom que o pai a perdoou; Deus sabe o que faz, quebrantou seu coração,o salvou e depois decidiu levá-lo.Já vi histórias semelhantes na vida real.Agora resta a mãe se quebrantar também e decidir perdoar a filha.
    E a Brenda como sempre maravilhosa, compreensiva, um tipo de amiga dificil de se achar hoje em dia.
    E fiquei curiosa pra saber quem é a pessoa especial que se aproximou dela.

    ResponderExcluir
  2. Continue lendo e saberá. Amanhã postarei o próximo capítulo.

    ResponderExcluir
  3. Eu como já disse me baseei em coisas do cotidiano e soube de algumas pessoas que aceitaram Jesus e depois faleceram. Um irmão da 1ª igreja que fui, várias vezes ganhou pessoas no leito de hospital pra Jesus e depois morriam, o que levou outras pessoas a acharem que ele era um papa-defunto e terem até medo que ele orasse por pessoas muito doentes.

    ResponderExcluir
  4. Só de ler aqui os comentários eu me emociono.

    ResponderExcluir
  5. Puxa Vinícus! Bem que você falou para eu não guardar o lenço... Emocionante! Também conheço casos de conversões pouco antes da morte (meu vizinho foi um desses casos, morreu praticamente em meus braços). Mas o pai da Carla se converteu, perdôou-a, e foi dormir em Cristo, até o evento do "Arrebatamento"...
    Quanto à Carla, ela vai reagir, eu espero que aceite logo a Jesus. Com a Brenda em oração intercessória (+ o acréscimo do Marcio)... diz a Palavra que a oração do justo pode muito em seus efeitos. Tenho experiência de respostas de oração (livramento aos meus familiares, principalmente)...
    E esse Márcio, heim?!? Sinto cheiro de romance no ar... (...rsrsrs...)
    Nossa, a gente se pega pensando nos personagens como se eles fossem reais, a gente mergulha de cabeça...
    Você é um maravilhoso contador de histórias, e como é cristão, suas histórias e livros estão impactando e irão impactar muitas vidas, resgatando-as das trevas.
    Deus te abençoe meu querido, queridíssimo amigo em Cristo Jesus!
    Graça e Paz!

    ResponderExcluir
  6. Amém. Obrigado, irmã. Eu sabia que ia comover os leitores e este blog é um estágio supervisionado pra obter mais experiência com os comentários. Como já comentei mais acima, situações reais são o grande laboratório para a imaginação, transportando a vida real para a ficção e tocando corações que se identificam com acontecimentos semelhantes que viveram. Espero que mais pessoas leiam. Tive o presente de ver postado no 1º capítulo o comentário de uma colega de colégio que lembrou do que eu escrevia quando éramos adolescentes. Que mais pessoas leiam e se emocionem, pos os capítulos que se seguirão serão só emoção. Amanhã o 30º será postado. A paz do Senhor.

    ResponderExcluir
  7. A propósito do seu comentário que a gente viaja no texto e na nossa mente dá vida aos personagens, é justamente pela conexão com a vida real. O fato narrado pelo personagem Márcio foi inspirado numa situação não exatamente igual, mas semelhante. Assisti na rua um rapaz chorando muito e amigos abraçando-o, dando apoio e embora eu nem pensasse em estar em uma igreja e o grupo não estivesse evangelizando transportei o fato para a ficção. Escrever é maravilhoso. A imaginação corre e temos que saber dominá-la principalmente quando o texto tem um propósito como este.

    ResponderExcluir
  8. P.S. Meu pai aceitou Jesus horas antes de morrer.

    ResponderExcluir
  9. É verdade Vinícius, escrever é viajar nos sentimentos.
    Fico feliz quanto ao seu pai. Glória a Deus!
    Graça e Paz!

    ResponderExcluir
  10. Estou sem palavras, serio.

    Não achei que o pai dA Carla fosse morrer, coitadinha...

    Estou aqui pensando... ela perdeu o tal namorado (que é marido de outra), perdeu o filho e perdeu o pai... (mas infelismente, sinto dizer isso, mas não sei se estou com tanta pena assim da Carla, sei la, posso esta sendo dura, mas não estou tão triste assim. é claro que isso que aconteceu com ela é terrível, mas... estou mais preocupada com a esposa do Marcos)


    Brenda é uma linda!!

    Qual é o nome do tal amigo de oração da Brenda? eu não prestei atenção ou você esta fazendo mistério? rsrs

    ResponderExcluir
  11. Que.. grande bagunça na vida da Carla! Quanta dor e sofrimento, meu Deus!! Fiquei sinceramente comovida com a situação dela.. parece que ela perdeu tudo que tinha de valor nesta vida.. o pai morto.. o amor e respeito da mãe.. granhou o desprezo e a condenação das pessoas.. mas ainda tem as amigas .. sempre a apoiando!! creio que essas duas são mesmo como tábua de salvação.. espero que com o amor e compreensão da Alessandra ela possa cultivar esperança.. e que a dedicação e as orações de Brenda possam cobri-la para o que vem a seguir!!!

    ResponderExcluir
  12. Quem será esse Márcio hein?
    rsrsrs
    Até imagino.

    ResponderExcluir
  13. nossa, fiquei de cara com a morte do pai da Carla, e a mão acusando-a...horrível...triste
    Legal é ver o lanche dos versiculos colocados com a situação...

    e esse márcio? hum...

    ResponderExcluir